sábado, 11 de agosto de 2007

Pai é pai, né?

É engraçado como em cada fase da vida o pai tem um significado diferente. Quando bebê acho que o pai passa uma sensação de firmeza, de segurança e claro, de muito amor. Depois, criança, o pai é só alegria, é o cara para a gente brincar. Lembro muito bem como eu gostava de jogar botão e futebol com meu pai, e se estivesse com meus amiguinhos então, que orgulho...
Depois o pai vai ficando chato. Pai, vamos jogar bola? Não dá! Aí além de chato ele vai pegando intimidade. Pai, vamos jogar bola? Oh moleque do cacete, pára de me encher o saco, não tem mais ninguém para brincar não?
E aí a gente vai, começa a conversar com os amiguinhos e a conhecer outros pais e vê que o nosso pai não é tão perfeito como a gente imaginava. E começa a fase quando a gente acha que os pais dos outros são melhores que os nossos, mais ricos, mais legais, mais brincalhões, mais engraçados, menos barrigudos e mais elegantes... Nossa pai, você tá ridículo com essa roupa... É quando começam os grandes debates (para quem tinha pai que permitia): Pai, por que não posso viajar com meus amigos? Tenho que chegar meia noite? Não dá pra trocar meu tênis? Não posso dirigir sem carta? Eu tenho que ir pra casa da vovó? Não dá pra emprestar o carro?... até chegar no limite quando a gente não vê a hora de sair de casa...
E aí a gente sai. Ou para estudar, ou casando ou alcançando nossa independência financeira. E então, agora longe, passamos a enxergar nosso pai de outra maneira, a entender suas dificuldades, suas preocupações, seus conselhos e até a dividir alguns segredos... e aquele amor de criança reaparece e ele volta a ser nosso super-herói mesmo não aceitando algumas coisas...
Até o dia em que também nos tornamos pai, e então tudo por si só se explica e a natureza, sábia e divina, nos mostra quão igual todos nós somos.

3 comentários:

Milene disse...

Marcão
Adorei o seu blog, pretendo ler sempre.A mensagem do dia dos pais também está demais.Você está ficando muito bom nisso.
Não sou pai, mas como mãe, me identifiquei várias vezes.Beijocas
Mi
Obs: pretendo te manter informado dos bares daqui de São Paulo???
E o Paquito, não saiu ainda??

Kika disse...

Dê,
Adorei...ótima idéia este blog.
Maravilhosa a mensagem dos pais.
Sucesso e Parabéns!!!
Beijos, com carinho,
Kika

Eduardo disse...

Cara, que texto bonito!
Me lembrou do Veríssimo...
Parabéns!
Eduardo Abdalla