segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Família

Nada como um almoço de domingo com a família... Será? Depende da família, claro. E depende se este almoço vira uma obrigação, aí é tortura. Na minha cabeça, esse negócio de se encontrar para almoçar todos juntos vem dos meus avós... Também, eles tiveram 6 filhos!!! Qualquer lanche já era uma reunião de família....
Família grande é legal, mas também depende da família... e das noras e dos genros, é claro... Eu tenho muita sorte, nossa família é bem legal e os agregados também e se moldaram bem aos hábitos de casa. Os almoços são uma festa e os amigos convidados acabam se tornando parentes emprestados... e toda a movimentação de mãe, tia, prima, cunhada e nora, arrumando, limpando, servindo, conversando e rindo dá uma sensação de segurança, de paz e de tranqüilidade que só a casa da gente traz. E quando tem um monte de gente fazendo isso junto, desta forma, esta sensação é maior ainda, como se a gente estivesse fazendo a coisa certa na hora certa e no lugar certo. Tudo tão perfeito que em 7 horas seguidas, nem as crianças incomodaram... a isto eu chamo de celebração da vida e da razão de estarmos vivos... Obrigado meu Deus ...

3 comentários:

Eduardo disse...

Quanto ao comentário de não ter ido a nenhum boteco(aí ao lado), faltou dizer da bela apresentação na Igreja dos Passos, dos Insistentes.
Meus filhos adoraram e eu também! Muito boa mesmo!
Eduardo Abdalla.

Milene disse...

Concordo plenamente!Reunião familiar, para mim, é uma renovação: encerro bem a semana que passou e fico tranquila para começar a próxima. Pena que isso é para a minoria... é muito difícil encontrarmos uma família que se dê bem como a nossa. Brigamos, com certeza, e falamos até mal um dos outros, mas sabe como é, só nós podemos falar. No final, o que prevalece é o respeito, apóio, união e carinho. Quem não tem isso, poderia tentar. Vale a pena!!
Milene

Mines disse...

Moro num país frio. Tanto no clima quanto nas pessoas.Isso que voce contou não existe aqui.
Eles se reunem talvez umas duas vezes ao ano e uma delas é o Natal e assim se aproveita para ver a família toda, coisa que durante todo ano é cada um para seu lado. É triste.
A hora do alimento, não combina com conversa. Todo mundo é calado à mesa. Ensinam-se desde a pré-escola.
Tenho saudades dos almoços da nossa família. Barulhentos, fartos de comida, alegria e vida!!